Essa técnica tem como objetivo primário fechar as roturas retinianas e pode ser feita de duas formas: retinopexia pneumática ou retinopexia convencional. A convencional consiste na introflexão da esclera feita com uma faixa ou esponja de silicone e dirigida preferencialmente em descolamento de retina regmatogênico. Já a forma pneumática é mais voltada em casos de roturas localizadas na porção superior do olho. A indicação varia conforme o caso em questão e muitas são as variáveis e condições que predispõem o aparecimento dessas roturas, como a presença de degenerações como distrofia de Lattice, traumas entre outras cicatrizes retinianas.