O descolamento de retina é a separação da retina da parte subjacente que a sustenta. A malha de nervos que constitui a parte sensível à luz da retina forma uma película delgada aderida firmemente ao tecido de sustentação subjacente. Quando essas duas camadas se separam, a retina não pode funcionar e, a menos que sejam reunidas, a lesão da retina pode ser permanente. O descolamento de retina pode começar em uma pequena área, mas, quando não tratado, pode ocorrer descolamento de toda a retina. Em uma forma de descolamento, a retina se rompe por completo. Normalmente, esta forma ocorre em indivíduos míopes, aqueles que foram submetidos a uma cirurgia de catarata ou os que sofreram uma lesão ocular. Em uma outra forma de descolamento, a retina não sofre laceração, mas se separa do tecido subjacente. A retina separa-se quando o movimento do líquido do interior do olho a traciona ou quando o líquido acumulado entre a retina e o tecido subjacente provoca a separação, descolando a retina. Sintomas O descolamento de retina é indolor, mas pode criar imagens de formas irregulares flutuantes ou raios luminosos, e tornar a visão borrada. A perda da visão começa em uma parte do campo visual, e, à medida em que o descolamento progride, ela aumenta. Quando a área macular da retina sofre descolamento, a visão deteriora-se rapidamente e tudo torna-se borrado. O oftalmologista examina a retina com o auxílio de um oftalmoscópio (um instrumento utilizado para examinar o interior do olho). Normalmente, ele consegue observar o descolamento. Quando o descolamento não é visível, a ultrassonografia pode revelá-lo. Tratamento Qualquer indivíduo que apresente uma perda de visão súbita deve consultar um oftalmologista imediatamente. Para decidir se deve usar a terapia com laser, por congelamento ou a cirurgia, o médico leva em consideração o tipo de descolamento de retina e a sua causa. Quando a mácula permanece aderida, o prognóstico é excelente. Quando a retina é colada em 48 horas, o resultado é bom. Entretanto, quando a retina permanece descolada por mais tempo ou se tiver ocorrido sangramento ou formação de cicatriz, o prognóstico é ruim. No entanto, um estudo pormenorizado de cada caso com o oftalmologista torna-se imprescindível para sanar dúvidas e especialmente poder atuar diante de expectativas realistas e um completo entendimento dos benefícios e riscos dessas intervenções.