Miopia, astigmatismo e hipermetropia Quem pode fazer cirurgia a laser? Para a análise dos candidatos à cirurgia a laser, é necessário um exame oftalmológico completo, o qual deverá ser realizado por um especialista em cirurgia a laser. Para um ótimo resultado, é necessário o preenchimento de alguns critérios de segurança como: Idade superior a 18 anos; Ausência de doenças oculares; Ausência de doenças sistêmicas; Ausência de gravidez. Como é feita a cirurgia a laser? É necessário internação? A cirurgia a laser é realizada sob anestesia tópica (colírio) e leva em média 15 minutos por olho. Não é necessária internação antes ou após a cirurgia e os pacientes são liberados imediatamente após o procedimento. Quais as chances de sucesso? As chances de sucesso são altíssimas e a grande maioria de nossos pacientes têm suas expectativas atendidas, ficando livres de óculos. A cirurgia a laser dói? A cirurgia a laser é realizada somente com anestésicos tópicos (colírio) e os pacientes não sentem absolutamente nenhuma dor durante a cirurgia. Quanto tempo após a cirurgia posso retornar ao trabalho e atividades esportivas? Na maioria das vezes, é possível retornar ao trabalho entre 1 e 3 dias após a cirurgia. Também é possível voltar às atividades esportivas após 1 semana. Existe algum risco? Quando a cirurgia é bem-indicada, de acordo com o caso do paciente, e realizada com equipamentos de última geração e por profissionais preparados para o procedimento, as chances de complicações são mínimas. Quais as diferentes técnicas da cirurgia a laser? Diferentes técnicas de cirurgia a laser podem ser empregadas para a correção visual, incluindo: Lasik, PRK, Lasek e Cirurgia a Laser Personalizada. Técnica LASIK LASIK é a técnica mais comumente empregada e consiste na criação de uma lamela (flap) para a posterior aplicação dos feixes de laser na parte central da córnea. A lamela é criada com o auxílio de um aparelho chamado microcerátomo e produz um disco circular na córnea. O Lasik tem como grandes vantagens a recuperação visual muito rápida, com mínimo desconforto pós-operatório. A técnica de Lasik pode ser utilizada nas correções de miopia, astigmatismo e hipermetropia Técnica PRK O PRK é uma técnica que vem sendo realizada há quase 20 anos e que também apresenta uma alta taxa de sucesso e previsibilidade. Consiste na remoção mecânica da camada mais superficial da córnea (epitélio) e subsequente aplicação dos feixes de laser. O PRK tem como grande vantagem o altíssimo nível de segurança, especialmente em paciente com córneas mais finas ou leves alterações em sua curvatura. O PRK é utilizado principalmente para a correção de baixos a moderados graus de miopia e astigmatismo. Técnica LASEK O Lasek consiste numa pequena variação do PRK, no qual é criado uma fina lamela (flap) com o epitélio (camada mais superficial da córnea). A criação do flap epitelial é geralmente facilitada pela aplicação de uma solução alcoólica. Apesar de outras técnicas estarem em desenvolvimento, o Lasik e o tradicional PRK continuam sendo as mais comumente empregadas, devido ao alto grau de segurança e eficácia comprovados ao longo dos anos. O FLAP A diferença entre as técnicas Lasek e o Lasik é a presença do flap. Apesar de oferecer ao paciente maior conforto e rápida recuperação visual, a simples existência do flap torna possível outras complicações, todas inerentes ao flap. Essas complicações relacionadas ao flap não acabam ao final da cirurgia. O flap estará para sempre lá. Outro problema potencial com o Lasik é o fato de que os nervos corneanos são cortados durante a criação do flap, e isso pode temporariamente ocasionar ressecamento ocular. Com a cicatrização, a sensibilidade corneana vai voltando ao normal, porém pode demorar semanas ou meses. Finalmente, existe também a questão da espessura do flap, que varia de 100 a 180 micra (medida usada na oftalmologia). Se o paciente possui uma córnea muito fina ou um grau muito alto, pode não haver tecido corneano suficiente para se corrigir com segurança todo o grau, já que procura-se manter intocados os cerca de 250 micra de córnea. Esta medida acredita-se necessária para manter a estabilidade corneana e reduzir os riscos de dilatação. O FLAP que não é um FLAP O desejo de eliminar as complicações relacionadas ao flap motivou a idealização de uma técnica que criasse um "flap epitelial", muitíssimo mais fino, que funcionaria em parte como o flap do Lasik, mas sem as suas complicações. Ao invés de remover o epitélio como no PRK, no Lasek o epitélio é "afastado" parcialmente, e o laser é aplicado na córnea para modificar sua curvatura e corrigir o grau. Após terminado o tratamento a laser, o epitélio é gentilmente reposicionado em sua posição original. Como no PRK, uma lente de contato terapêutica é colocada sobre a córnea para ajudar na cicatrização e diminuir o desconforto. O epitélio geralmente leva de três a cinco dias para se recuperar e cobrir totalmente a superfície da córnea. Esse tempo de cicatrização depende de muitos fatores, como o tamanho da área tratada, a saúde da córnea do paciente, a capacidade de cicatrização de cada um e a toxicidade dos colírios utilizados no período. O pós da cirurgia a laser Durante os primeiros cinco dias pode haver desde um desconforto leve até um desconforto importante, onde pode ser necessário a utilização de colírio para manter a pupila dilatada, causando piora temporária da visão de perto e sensibilidade à luz. O uso correto das medicações prescritas e compressas frias são essenciais neste período. Dentre as vantagens do LASEK em relação ao LASIK estão a eliminação das complicações relacionadas ao flap durante a cirurgia e no decorrer da vida do paciente, a redução da incidência de ressecamento ocular e uma maior espessura de tecido corneano residual, intocado pela cirurgia. O que é a cirurgia a laser personalizada? A cirurgia personalizada é uma recente inovação, que consiste na correção dos erros refracionais de uma forma individualizada, oferecendo máxima precisão e melhor qualidade de visão. Para a realização da cirurgia personalizada faz-se um análise de todas as aberrações do olho, através de um equipamente chamado “wavefront”. Em seguida, o conjunto de informações é transferido para o laser e usado no tratamento personalizado. A cirurgia personalizada tem proporcionado resultados extremamente satisfatórios e anteriormente jamais obtidos. Correções de Altas Miopias A correção a laser da miopia é considerada segura somente até o limite máximo de 10 a 12 dioptrias. A partir desse grau, outras técnicas são consideradas mais eficientes e seguras, como a recente técnica de implante de lente intra-ocular chamada ARTISAN. Essa lente é implantada atrás da córnea e será inserida na íris bilateralmente. Uma vez implantada, a lente não precisa ser trocada e a totalidade do grau pode ser corrigida. A cirurgia é bastante simples e segura, sendo a lente implantada através de uma pequena incisão. A cirurgia pode ser realizada somente com anestesia tópica, não havendo necessidade de internação, e a recuperação visual é quase imediata. Tal técnica já vem sendo realizada na Europa há quase 10 anos e os estudos a longo prazo vêm confirmando sua segurança e eficácia nos altos míopes.